As andanças do amor!

Bateu ferro contra ferro e o pesado portão trancou-se.
Ressoou forte pelo convento tal som.
E aquele coração, naquela paz dorida finou-se.
Nunca mais! Mentiu-lhe a mente com forte tom!
Mas… nele ninguém manda, e tampouco desmanda.
Traiçoeiro, manhoso e sorrateiro, aquieta-se numa espera falsamente mansa, e depressa dá o bote rápido e certeiro.
Oh! Não! Exasperou-se!
Rangeu o coração deserto de dor e não augurou bom.
Voltei!!! O desavergonhado alvoraçou-se!
Devastador na chegada e na partida como é o seu dom!
É lindo e feio, feio e lindo na sua louca dança dos sentimentos finos compassados com sentimentos desordeiros.
Atira-nos ao ar e ao chão e repete e repete e não se cansa.
Arrasa tudo nos desafortunados jardins e canteiros.
Nos novos e nos velhos corações sempre ousou-se! Até naqueles desvalidos que quase já batem suaves como um pompom, o amor que sempre teimoso, de nenhum coração ausentou-se, e menos ainda do teu…, Princesinha Bombom!

* Este texto, foi escrito segundo os termos da ortografia anterior ao recente (des)Acordo Ortográfico.

 

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL