D ´este escrever

D´este viver aqui neste papel descripto. - Creio que não podia ter tido uma forma mais singular de me cruzar com o famoso e grande escritor António Lobo Antunes.
Não sendo este livro (D´este viver aqui neste papel descripto.) propriamente um Lobo Antunes, é – por muito absurdo que possa parecer – um verdadeiro Lobo Antunes. Naquelas missivas trocadas com a mulher, -missivas que Lobo Antunes nunca pensou que viessem a público-, ele é ele. Nelas ele é autêntico.
Nunca mais o perdi.
A espaços de tempo, volto a ele, e, quanto mais maduro me vou tornando, mais ele vai crescendo dentro de mim. Delicio-me. Também consegue fazer-me sofrer. Também consegue surpreender-me continuamente. Muitas vezes estatelo-me no chão, caio repentinamente desamparado da beleza duma frase, duma imagem. Lobo Antunes consegue escrever poemas inteiros numa só frase, numa simples frase, numa imagem. Por vezes, sufoca-me! Quando tal me acontece, deixo-me ficar voltado de barriga para o ar. Fico em êxtase, fico a saborear a frase, a imagem, o poema, suspendo a leitura enquanto fico a curar a bebedeira de sentimentos. Confesso-o! Só de pois de a curar, só quando volto a ficar completamente sóbrio é que retomo a leitura.
Há dias, a Maria Rueff serviu-me o livro: Memória de Elefante. Apanhei-a! Que “chapadona”! Fiquei dias e dias a ressacar. Que livro! Aconselho-vos a verem o vídeo em que ela, Maria Rueff, cheia de emoção e de gratidão elogia e homenageia presencialmente o autor (Maria Rueff – Dia António Lobo Antunes no Centro Cultural de Belém ( https://youtu.be/oQXWRtJ6bdM ), só depois de ter lido o livro pude compreender toda aquela sentida emoção.
Sem me aperceber, ainda ressacado, já vou a meio do Conhecimento do Inferno. Existe um encadeamento entre ambos, mas desconheço se é casual ou se é intencional. Pouco importa! Há! Juntos têm um sabor agridoce!
Não gosto de resumir livros. Prefiro espicaçar a curiosidade. Por isso, despeço-me assim: - Por favor, arranjem um tempinho para lerem estes três livros que “D´este modo de amar ler, aqui vos deixei descriptos”.

*Este texto foi escrito segundo os termos da ortografia anterior ao recente (des)Acordo Ortográfico.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL