Falta de sabedoria!

Sinto-me triste! É deprimente! Quanto mais penso, quanto mais medito, mais triste me sinto.
A natureza humana é decepcionante!
Como é que pessoas que foram bafejadas pela sorte, que nasceram com um QI elevado, com saúde, que nasceram num ambiente favorável e propiciador, pessoas a quem a sorte ou o acaso da vida estenderam de mão beijada, uma generosa passadeira vermelha para caminharem sobre as adversidades desta vida sem sobressaltos, como é que essas pessoas, cegas pela ganância e pela vaidade deitam tudo a perder?
- Claro! Com certeza! Estou a falar dos recentes acontecimentos. Claro que estou a falar dos juízes!
Questiono-me, como é que pessoas com aquela vivência, com aquela informação podem ser tão insensatas, tão falhas de sabedoria?
Elas comportaram-se como certos meninos pobres que ao conhecerem novos mundos, que ao conhecerem mundos faustos e com oportunidades e vivências que desconheciam, tudo fazem para transitarem para esse mundo. Esses meninos, muitas vezes, fazem-no na tentativa de quebrarem os grilhões da miséria. A miséria cega, dói, exaspera, chega a matar...
Para com esses que nasceram já com tudo perdido, que tudo fazem para alcançar o quinhão que lhes mate a fome, que tudo fazem para alcançar aquele quinhão que lhes quebre as algemas da miséria, com esses, ainda consigo ter alguma complacência...
Mas não consigo de todo, ter qualquer complacência com aqueles que se deixam deslumbrar com outros mundos, outras vivências, outros modos de vida e que depois querem apoderar- -se do " brinquedo" do outro menino.
Isto é ganância, isto é falta de sabedoria, isto é, no limite, soberba, é julgar que, por maioria de razão, o "inteligente", o "poderoso", o "aparentemente mais capaz" é o merecedor natural de tais privilégios e mordomias, ainda que ilegais e de índole criminosa! Isto é, perdoem-me, ser e também fazer dos outros burros...
Sabedoria, sabedoria meus caros, é saber viver com aquilo que nos baste. É agradecer o pão bastante para o nosso dia-a-dia, é sentirmo-nos felizes por sermos íntegros, é merecermos a confiança e a deferência com que nos brindam, é cumprirmos com empenho e brio as nossas tarefas e os nossos compromissos, por maiores ou por mais humildes que sejam, como percorrer com empenho, com verdadeira dedicação, a cidade durante a noite a recolher o lixo que os outros fizeram, isso é ser grande! Muito GRANDE!
Livre-nos a SABEDORIA de sermos como os túmulos: limpinhos, cheirosinhos, muito compostos por fora e cheios de podridão pestilenta e mal cheirosa por dentro.
É por isto, é por esta cegueira, é por esta falsa aparência é por esta falta de princípios, é por esta demente ganância que biliões de seres humanos e de seres não humanos padecem tanto, rangem os dentes de dor, sofrem e choram desnecessária e absurdamente...
- É por falta de sabedoria duns...que sofrem tantos!
- É por falta de sabedoria duns...que sofrem tantos!
- Que sofrem tantos...

* Este texto, foi escrito segundo os termos da ortografia anterior ao recente (des)Acordo Ortográfico

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

910 496 991 (comercial)

geral@figueiranahora.com

comercial@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL