O Segredo

Posso afiançar-vos que o grande segredo, o grande mistério, esse segredo que passamos uma vida inteira a tentar descobrir, é pequeno, é um pequeno segredo. Ele cabe dentro de quatro letrinhas conjugadas - AMOR. É incrível.
Vou explicar-me devagarinho. Vou explicar da mesma forma como me foi sendo explicado até se fazer verdadeiramente luz em mim.
Levei muito tempo até finalmente perceber, realizar, interiorizar que nós, todos nós, somos ENERGIA!
E-N-E-R-G-I-A!
Esta palavra tem aparecido recorrentemente na minha vida! Ela tem-se APRESENTADO, MOSTRADO, ATRAVESSADO, ASSALTADO, AJOUJADO, tudo isto para conseguir que eu finalmente PERCEBESSE, REALIZASSE, INTERIORIZASSE, a sua verdade e importância.
Levei muito tempo até finalmente perceber, realizar, interiorizar que nós, todos nós, somos uma ENERGIA!
A grande verdade é que, no nosso mundo, com esta densidade específica em que nos corporizamos fisicamente, - no qual somos vários biliões de Manéis e de Marias -, neste mundo, existem igualmente vários biliões e biliões e biliões de energias em constante transformação, com progressos e retrocessos, em direcção a um objectivo último que é a sua transformação, aglutinação, na grande energia pura - no AMOR.
O amor verdadeiro, incondicional, desprendido do eu, do um, e corporizado no todo. Esse é o caminho, esse é o propósito, esse é o objectivo final. Nesse sentido, nessa direcção, vai, segue, a evolução individual e colectiva.
Acontece que...,
existe um espectro evolutivo dentro da própria energia. Ela também está em evolução. O seu espectro vai desde, o negro mais negro, mais cerrado, até à luminosidade translúcida, muito para além da dourada luz.
Este processo evolutivo não é suave nem pacífico, pelo contrário, chega a tornar-se brutalmente violento e doloroso, como resulta da absorção da essência dos contrários..., por isso, a terra, a vida aqui..., ainda é como é!
Mais tarde, noutras ocasiões, vos falarei desta "QUINTINHA", vos falarei desta TERRA refém!
Por agora, apenas quero falar, tocar leve, levemente, mais levemente que o vento, porque gente tem ainda muita dificuldade em (falar) tocar assim... (foi um pequeno devaneio literário para gozo pessoal e para o gozo daqueles que se deleitam com estes "sabores", com estes "miminhos"...)
Continuando..., quanto mais claro, quanto mais radioso, for o espectro duma energia, quanto mais de amor for..., mais fluída, mais abrangente e mais poderosa ela se vai tornando...
Reparemos numa outra curiosidade! Quanto mais forte, quanto mais condensada for uma energia, com menos letras se escreve: eu ou tu; pai e mãe; mar e sal; luz e sol; mel e fel; amor e ódio, e outras tantas mais...
Voltando à ENERGIA, melhor dizendo, voltando às energias, aquilo que motivou estas palavras, o seu clique, foi a observação dum vídeo no qual diversos humanos com uma energia amorosa, muito "luminosa", muito "radiosa" interagem harmoniosamente e com amor com outras energias igualmente luminosas e radiosas de animais no seu estado "selvagem": moreias, peixes diversos, ursos, leões, lobos, tigres, javalis, pássaros e mais..., e mais... e o seu contrário também, onde dóceis, abnegados e desesperados elefantes pisoteiam numa fúria incontrolada os seus (mal)tratadores até à morte.
Quando finalmente começamos a ter consciência das energias e do seu poder, do seu poder transformador, o processo de transformação acelera-se duma forma incrível e desencadeia-se o processo da descoberta e da participação no AMOR UNIVERSAL.
Os animais, sobretudo os domésticos, funcionam como chaves para abrir as fechaduras emperradas do amor. Eles desencadeiam em nós, comportamentos, atitudes, sentimentos de amor, de entrega e de dádiva incondicional…, são facilitadores.., são mestres, são professores...
Através deles, começamos a aprender a amar, dando e recebendo deles, para depois podermos começar a dar e a receber amor do animal mais ferido, mais desconfiado, mais calculista e mais traumatizado de todos os animais, - O SER HUMANO!
Quando esta energia está instalada e em franco crescimento, é comum ouvir-se dizer: Esta pessoa parece que têm mel. Acontece assim porque a sua energia atrai as outras energias parecidas. As energias parecidas tendem a gravitar na órbita das outras e, o contrário, o mesmo poder, a mesma atracção, têm todas as outras energias do espectro energético...
Vamos falando..., vou andando por aí...

*Este texto foi escrito segundo os termos da ortografia anterior ao recente (des)Acordo Ortográfico.

 

 

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

910 496 991 (comercial)

geral@figueiranahora.com

comercial@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL