Quem mora nesta travessa?

Estou aqui de uma vez
Outras, não conheci
Antes, não passei por aqui, pois,
não me encontrei nem me perdi, assim.
Talvez. Fui e vim
e não me vi quando passei aqui.

E confesso que de tudo quase vivi
esta travessa de lacados,
remendada em asas por não ter lados
como todas
e em todas, é de mesa
de louçada fina, leão ordinário come a salada mais fria antes que me arrefeçam os dois soldados lado-a-lado
Todo o bom imago bago sabe mentir-se
E eu de soslaio a ver, a ser,
e um ele, um meu, a rir-se,
aí, a ir-se.

Parado, quieto, armado, incerto
Desalvorado, irrequieto
um louco vindo do deserto
Um louco à procura.ide. De certo.
Uma mente sã que não pensa assim.
Vi de tão perto.
Cada Fook bagueia o mais eferente
certo ou incorreto, é isto, é olhar para este deserto e ele ser deserto
ao de longe e ao de perto
É ser tão concreto como a mareia
um.
todo o diabo é-me santo.
outro.
no nú do deserto aos beijos na areia
no certo de incerto
na pontua desta mesma trava mulher
a mesa, onde o outro Fook come sem colher.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL