Senhores decisores, parem para pensar!

Senhores decisores, tenham a humildade de parar para pensar, parar para reflectir, para olhar à vossa volta, para irem aos locais, para sentirem o pulsar da vida antes de decidirem!
O homem é "apenas", apenas, apenas, -repito mais uma vez-, o homem é "apenas" um dos elos da extensa cadeia da vida. Até agora, o homem tem agido com a convicção de que é o mais importante e de que é imprescindível. Ele não só não é o mais importante como também não é sequer imprescindível! Ele "apenas" é arrogante! Ele esquece-se que, para o Universo ou para o Cosmos, conta tanto como a restante vida, como os animais, como as árvores, como as bactérias - das quais é mundo e viveiro.
Nós homens e as árvores e a restante vida, somos co-fruidores desta "nave espacial" cujo fim e destino desconhecemos, e a que chamamos Planeta Terra.
Não somos imprescindíveis porque sem nós a vida continua, mas não continua sem as árvores que produzem o oxigénio, nem continua sem a água que consideramos "apenas" um elemento.
A vida continuará comigo ou sem mim (mero rabiscador destas inconvenientes frases); continuará com ou sem um ou outro arquitecto (por muito importante que seja); continuará com ou sem um ou outro engenheiro, com ou sem um ou outro presidente..., apesar do homem, debaixo do chapéu da sua ignorância e da sua soberbia, ter o poder de matar e de destruir. É isso que ele, em nome duma abstracção a que chama progresso, tem vindo consecutivamente a fazer, sem parar para avaliar as suas consequências!
Em nome de um projecto urbano que supostamente é para benefício das pessoas e que deveria partir da preservação das vidas (árvores) que existem no local, matam-se, cortam-se um conjunto de árvores, algumas com cerca de cinquenta anos, porque decisores apressados e técnicos encerrados em gabinetes onde estiram enormes folhas de papel, projectam obras de betão a metro cúbico, à revelia da preservação do meio ambiente, e assinam despachos concordantes com mentalidades bafientas e atentatórias da nova consciência.
Atenção! Está a despertar um homem novo, está a implodir uma nova consciência, mais integrativa, e com um novo reposicionamento da importância e das prioridades da vida.
Expresso aqui os meus sinceros parabéns e o meu humilde reconhecimento às mais de cinquenta consciências dos diversos quadrantes das forças políticas do concelho da Figueira da Foz que, com a sua acção, impediram o anunciado crime ambiental!
Aproveito a boleia para, uma vez mais, alertar contra outro crime hediondo que se pratica no nosso concelho - AS TOURADAS!
Senhores decisores, prestem atenção!
Animais, Árvores, Rios, Homens e Bactérias têm o mesmo peso e importância para o Universo!
Se não conseguirem ter compaixão pelos indefesos animais, pelo menos, tenham vergonha das vossas conivências!
Senhores decisores...., proíbam as TOURADAS neste concelho!
Torno a declarar que votarei no partido que se comprometer a acabar com esta prática bárbara em Portugal. Sei que, como eu, pensam muito milhares, mas mesmo muitos milhares, mas mesmo muitos milhares de insignificantes eleitores!
Quem vos avisa....

*Este texto foi escrito segundo os termos da ortografia anterior ao recente (des)Acordo Ortográfico.

 

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL