Carlos Tenreiro (PSD) - “Não podemos continuar a ver a cidade a ser vendida a retalho”


• “Estamos a assistir ao definhar constante da nossa terra”.
• “Quem governa está amarrado a interesses e a não ir ao encontro das populações”.
• “Não podemos continuar a ver a cidade a ser vendida a retalho”
• “Eles gostam de andar mudos porque enquanto não falam, não dizem asneiras”
• “Manter o PS na Câmara é mais 4 anos de martírio e retrocesso”

As afirmações são de Carlos Tenreiro, proferidas durante a apresentação da sua candidatura (PSD) à presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz.
Com o salão da Assembleia completamente esgotado, a apresentação contou com a presença, entre outros, do deputado à Assembleia da República Luís Montenegro e ainda de Maurício Marques e Miguel Poiares Maduro.
O advogado Carlos Tenreiro apresentou-se como “uma alternativa, decidido e empenhado em mudar o rumo dos acontecimentos da nossa terra, de forma a recolocá-la no patamar onde merece estar”, defendendo que manter o PS na Câmara é mais 4 anos de martírio e retrocesso”.
O candidato deixou críticas ao executivo socialista, entre elas a revisão do PDM, “por não acautelar a expansão das freguesias e o desenvolvimento das aldeias”. Por outro lado, salientou que “a praia da Figueira é hoje uma praia para atletas, destruindo-se o conceito da praia de família e outrora considerada a praia dos portugueses”,
Tenreiro defendeu a ideia de recuperar os serviços de turismo camarários, abrir todas as reuniões de Câmara ao público, aumentar o calado e navegabilidade na barra da Figueira e rever em baixa o preço da água no concelho.
O causídico criticou ainda o recente surgimento de várias superfícies comerciais no concelho, afirmando que “não podemos continuar a ver a cidade a ser vendida a retalho”.

“É PRECISO MUDAR JÁ”
Luís Semedo expressou a sua “tristeza pela estagnação do concelho, um comércio a definhar, a indústria a não se diversificar, o turismo que é uma miragem (a autarquia não tem sabido interagir com o Casino)”, não compreendendo a ausência de um pólo universitário.
O mandatário independente desta candidatura falou ainda da falta de limpeza da Serra da Boa Viagem – “uma montanha de combustão” e do êxodo dos mais jovens sem atractivos a nível local.
Para o médico Luís Semedo, “é preciso mudar já, temos de apostar nas pessoas e nos projectos viáveis e transparentes”.

“MANTER O PS É UMA PERDA DE TEMPO”
Luís Montenegro, em representação nacional do PSD, foi outro dos intervenientes para dar força a esta candidatura, lembrando que a Figueira da Foz “perdeu demasiada capacidade de liderança” e que “um presidente da câmara não deve ser um mestre de obras. Hoje é preciso criar condições para atrair investimento e postos de trabalho”.
Para o deputado à Assembleia da República, “as autarquias servem para criar riqueza e felicidade nos cidadãos e isso não tem acontecido nos últimos anos”.
Resumindo, disse Luís Montenegro que “manter o PS é uma perda de tempo”.
Nesta apresentação era suposto dar a conhecer os nomes que concorrem à vereação PSD, contudo apenas Margarida Fontoura foi apresentada como candidata à presidência da Assembleia Municipal pelo PSD.

 

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

910 496 991 (comercial)

geral@figueiranahora.com

comercial@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL