Património cultural: PSD lamenta “abandono e desleixo”, autarquia recorda obra feita nos últimos anos

O Comissão Política Concelhia (CPC) do Partido Social Democrata da Figueira da Foz emitiu um comunicado no qual refere que “constatamos com profunda preocupação que a conservação e a requalificação do património cultural no concelho da Figueira da Foz deixam muito a desejar”, relembrando que “o PSD tem vindo a alertar, nos locais próprios, para o estado de grande degradação do património cultural”.
O PSD invoca o estado dos azulejos da Casa do Paço, muralhas de Buarcos, Estação Arqueológica de Sta. Eulália e da capela adjacente, Moinho das Marés, património geológico do Cabo Mondego, Mosteiro de Seiça, Dólmen das Carniçosas, Pelourinho da Figueira e Cruzeiro”, além da “promessas da aquisição da Casa da Renda nas Alhadas” e “nas trapalhadas da recuperação das janelas do Palácio Conselheiro Branco”.
A CPC liderada por Ricardo Silva adianta ainda que “o dr. Carlos Monteiro, ao longo dos últimos 10 anos, anuncia que vão fazer, mas tudo não tem passado de propaganda, e, neste caso, enganosa, porque o que temos assistido é a um rol de promessas. Como todos constatam, estão a ser gastos milhões de euros em obras, em replicar de obras, sem qualquer utilidade”.
Para os social-democratas, “não somos contra obras, mas entendemos que há obras mais prementes para o concelho do que as que estão a ser feitas”, concluindo ao afirmar que “é de lamentar o estado de abandono e de desleixo a que esta Câmara votou o património cultural do concelho, ao invés de o conservar e requalificar, não só pela obrigação da preservação da memória colectiva, mas também pela assunção como alavanca que aquele tem de ser para a actividade turística”.

Executivo reage e explica

O executivo municipal, socialista, já reagiu aos comentários afirmando que “a indignação do PSD da Figueira da Foz causa preocupação ao executivo do Partido Socialista, uma vez que a mesma, apenas é possível, por desconhecimento do nosso património cultural e das intervenções efectuadas”.
Numa nota de impressa do Gabinete da Presidência lê-se que “este executivo além de pagar a dívida no valor de 61 milhões de euros deixada pelo PSD Figueira da Foz”, efectuou as diversas intervenções, passando a elencá-las:

(…)
• Recuperação das muralhas de Buarcos; Requalificação da Casa do Paço e restauro de azulejos em estudo, Quinta das Olaias, Mercado de Buarcos, Mercado Municipal, Largo da Feira Velha e intervencionámos o Castelo Eng. Silva que se encontrava em ruína. Requalificámos a Torre do Relógio, a envolvente do Museu Municipal e procedemos à instalação de elevador, que permite a visita a pessoas com mobilidade reduzida.
• Classificámos o Convento de Seiça como Monumento Nacional para permitir a candidatura a fundos de recuperação da ruína existente.
• Salvaguardámos no PDM a preservação e utilização futura do património geológico do Cabo Mondego e efectuámos a aplicação do «Prego de Ouro» que formaliza o interesse geológico mundial.
• Colaborámos e diligenciámos, com os proprietários, na recuperação da Capela da Nossa Sra. Da Conceição e do Monte de Santa Olaia e Ferrestelo (propriedade da Quinta de Foja).
• Moinho das Marés - É propriedade do Estado. Classificado em 2017 como imóvel de interesse municipal com uma Zona Especial de Protecção, para efeitos da sua salvaguarda. Está a decorrer um processo de eventual passagem do imóvel para o município.
• Resolvemos as questões associadas ao Complexo Molinológico de Moinhos-da- Gândara.
• O Dólmen das Carniçosas foi intervencionado no início de 2019 e está em processo de actualização da sinalética.
• Protocolámos e recuperámos o Forte de Santa Catarina, permitindo a visita pública do espaço que se encontrava fechado.
• Estamos a recuperar o antigo Quartel dos Bombeiros e com intervenção a decorrer no Palácio Conselheiro Branco, pela empresa Renova Lar”.

Adianta ainda a nota de imprensa que “neste momento estamos também confiantes que alcançaremos um acordo que poderá resolver em breve as questões do Paço de Maiorca (herança do PSD). A estas intervenções, acrescem tantas outras que decorreram e estão em curso, ao mesmo tempo que conseguimos cumprir o nosso Plano de Saneamento Financeiro”.
A concluir, o executivo camarário diz estar “ao dispor para apresentar estas (e outras) intervenções ao PSD Figueira da Foz”.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL