I Encontro de Porta-Bandeiras e Mestres Sala: GRES A Rainha recebe 14 escolas de todo o país

A 1ª edição do Encontro de Porta Bandeiras e Mestres Sala realiza-se este sábado, a partir das 21h30, na sede da Escola de Samba A Rainha.
O evento, organizado pela mais antiga escola de samba do concelho, conquistou uma adesão considerada “excepcional” e conta com a presença de representantes de 14 escolas de samba de vários pontos do país.
Idealizado como um momento de partilha de experiências e de convívio, o Encontro de Porta Bandeiras e Mestres Sala pretende também homenagear o papel de uma dupla que é um elemento fulcral no desfile de qualquer escola de samba.
Neste momento, está confirmada a presença de representantes de escolas de samba de Ovar (Charanguinha, Juventude Vareira, Costa de Prata, Kan-Kans), de Estarreja (Trepa Coqueiro, Tribal, Independentes da Vila, Os Morenos, Vai Quem Quer), da Mealhada (Sócios da Mangueira, Amigos da Tijuca, Batuque), de Sesimbra (Trepa no Coqueiro), e da Figueira da Foz (Unidos do Mato Grosso e A Rainha).
O programa conta com a actuação das rainhas de bateria de todas as escolas participantes, e com a animação musical de Nuno Bastos e o Trio Pocket. O encontro de todos os participantes começará ainda durante a tarde e deverá prolongar-se noite dentro, estando o início das actuações apontado para as 22 horas.
Historicamente, existem diversas teorias para a origem da figura da Porta Bandeira e do Mestre Sala. Uma destas tendências indica que a coreografia desempenhada pelo casal será o resultado de uma fusão entre os bailes de gala da corte portuguesa no Brasil e a imitação irreverente que os escravos faziam nas suas próprias comunidades, nos primórdios dos actuais pagodes.
A verdade é que hoje em dia a Porta Bandeira transporta consigo o duplo peso de uma elaborada fantasia e da bandeira, símbolo maior da escola que representa. Ao Mestre Sala compete defender a “sua” portadora da bandeira, e convidar todos os que assistem para a festa.
Com um bailado elegante e simultaneamente alegre, a Porta Bandeira e o Mestre Sala representam da melhor forma o paradoxo do Carnaval: uma festa popular e ao mesmo tempo uma solenidade que anuncia o início da quaresma.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL