«Caminhos da Região de Coimbra» potenciam mais de 700 quilómetros de turismo de natureza

«Caminhos da Região de Coimbra» é uma nova rede de oferta turística e de valorização dos corredores de património natural da região, dinamizada pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM Região de Coimbra).
O grande objectivo é promover os recursos naturais da Região através de uma rede de trilhos pedestres, desde pequenas rotas, perfeitas para se fazer num dia, às Grandes Rotas do Alva, Bussaco e Mondego, que proporcionam vários dias de caminhadas e experiências associadas.

Nos «Caminhos da Região de Coimbra», além de um conjunto de pequenas rotas e actividades como observação de aves (birdwatching) e cogumelos, estão incluídos quatro grandes rotas: a Grande Rota do Alva (106 km), a Grande Rota do Bussaco (56 km), a Grande Rota do Mondego (124 km) e o Caminho Natural da Espiritualidade (67 km).
Um total de mais de 700 quilómetros de rotas municipais e intermunicipais que sofreram um reforço das condições físicas de apoio à visitação para afirmar a Região de Coimbra como um destino turístico de excelência, nomeadamente a requalificação de caminhos e percursos, sinalética, estruturas de observação e de relação com a natureza, unidades de visitação e de apoio ao visitante, rotas temáticas, estruturas de informação e suportes de comunicação e divulgação.

A Região de Coimbra é marcada por uma grande variedade de recursos naturais que compreendem desde a zona costeira e a paisagem gandaresa, ao vale do Mondego, passando pela extensa mancha florestal que culmina nas serras.

Grande Rota do Mondego
A Grande Rota do Mondego (ver aqui) é um percurso com 142 km de extensão, que visa dinamizar turisticamente os territórios compreendidos entre a Figueira da Foz e Oliveira do Hospital, cruzando os concelhos de Montemor-o-Velho, Coimbra, Penacova e Tábua, tendo o rio Mondego como denominador comum.

Esta grande rota permite descobrir a Figueira da Foz, com o seu imenso areal de areia fina e dourada e as suas atracções turísticas, o percurso até Coimbra, passando pelas vilas de Montemor-o-Velho e Pereira, com a forte presença dos marcantes campos de arroz do Baixo Mondego e da textura de outros cultivos; a cidade de Coimbra, eterna cidade dos estudantes, património da UNESCO, com o fado como elemento cultural exclusivo e diferenciado; e Penacova, como região de transição para um cenário de montanha, proporcionando uma significativa alteração da paisagem, com vales mais ou menos cavados e espelhos de água a perder de vista, com origem na Barragem da Aguieira. Pelos concelhos de Tábua e Oliveira do Hospital o cenário vai-se repetindo, sendo constantes, ao longo do percurso, elementos do modo de vida local, tais como moinhos de água, açudes, socalcos, levadas, entre outros.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL