Grande Prémio da Figueira da Foz - Campeonato Nacional Aquabike este fim de semana

A 1ª Prova do Campeonato Nacional de Aquabike (Jetski e Motas de Água) iniciou-se hoje e termina amanhã, no Estuário do Rio Mondego, sob a organização da Federação Portuguesa de Motonáutica.
A Praia do Forte, junto à barra da Figueira da Foz, é o ponto central da actividade.

12 de junho (sábado)
11h00 – 13h30 - secretariado e verificações técnicas
14h00 – 14h30 - reunião pilotos Aquabike
15h00 – 15h45 - Endurance GP1 + GP2 (30 minutos) –
Treino e 18 Manga
16h30 – 18h30 - Circuito Skis + Runabout - treinos e 18 mangas
19h00 - parque fechado

13 de junho (domingo)
08h00 - abertura parque fechado
09h30 - reunião pilotos Aquabike
10h30 – 13h00 - Circuito Ski + Runabout - 2.8 manga
13h00 – 14h00 - paragem para almoço
14h00 – 14h30 - Endurance GP1 + GP2 (30 minutos) - 2.8 manga
14h45 – 16h45 - Circuito Ski + Runabout - 3.8 mangas
17h00 - entrega de prémios

Aquabike em grande expansão

O Aquabike assume-se como uma das modalidades dentro dos desportos náuticos com maior expansão contínua e sustentada, segundo revela a Federação Portuguesa de Motonáutica.
Em Portugal, a exemplo do que sucede nos 4 cantos do mundo, o Aquabike tem atraído pilotos para as suas diversa categorias, contribuindo para tal o facto do nosso país acolher provas do mais alto nível internacional, tais como o Europeu de Elite e Mundial Júnior, disputados em Penafiel e a Copa Ibérica, em Marco de Canaveses.
O campeonato nacional está também a viver uma forte expansão, incrementando o seu ritmo competitivo.

RUNABOUT
São as normalmente chamadas motas de água (condução sentada), com motores Rotax, Yamaha ou Kawasaki a 4 tempos.
A Categoria GP1 apresenta-se como a «rainha» da modalidade com as motos a terem um peso mínimo de 300kg e a serem equipadas com motores turbo, até 2000cc e muita liberdade na preparação, atingindo os 450 cavalos de potência.
As GP2 são motos com a mesma cilindrada e tipo de motorização, mas com um peso mínimo de 310kg e limitações de preparação que reduzem a potência a um limite de 300 cavalos. 
Já a categoria GP4 é a que mais se aproxima das motos de série, sendo uma categoria de entrada para os pilotos que começam a competir a este alto nível.
Os motores têm uma capacidade máxima de 950cc, sem turbo-compressor, desenvolvendo cerca de 100 cavalos. O peso mínimo está estabelecido nos 180kg.

JET-SKI
A divisão de categorias nos Ski obedece à mesma hierarquia competitiva.
Os Ski GP1 estão no topo da modalidade.
Debitam cerca de 190 cavalos, utilizando motorizações de 1000cc com turbo ou 1600cc sem turbo, grande liberdade de preparação e pesando até 135kg, permitindo-lhes atingir grandes velocidades, mercê da excelente relação peso/potência.
Os GP2 têm uma potência máxima inferior em 30 cavalos aos jetski da categoria máxima, devido às restrições de preparação nos motores com cilindradas de 750cc com turbo ou 1600cc sem turbo, sendo o peso mínimo também de 135kg.
Ski GP3 (max 800cc a 2 tempos preparação limitada peso mínimo de 135kg cerca de 90hp)
São os normalmente chamados JetSki (condução de pé).
As marcas nipónicas Kawasaki e Yamaha e as suas motorizações a 2 ou 4 tempos, são hegemónicas nesta modalidade.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL