Estarreja: Civilria presta homenagem ao arquitecto Isaías Cardoso

O arquitecto Isaías Cardoso nasceu na freguesia de Alhadas a 30 de setembro de 1922 e além das suas funções profissionais era um apaixonado do teatro e bom músico no seu tempo de juventude. Faleceu em janeiro de 2017, aos 94 anos.
Foi uma pessoa fundamental nos primeiros passos da Civilria em 1991, quando desenhou, e principalmente acompanhou as obras nas suas visitas mensais, com ensinamentos sábios, nos primeiros projectos da empresa, fruto da sua enorme experiencia e reconhecimento pela carreira desenvolvida.
Não sendo um estarrejense nato, foi uma pessoa sempre muito ligada à cidade de Estarreja fruto do seu casamento.
A Civilria presta-lhe agora a devida homenagem, dando o seu nome a um edifício no centro de Estarreja, cuja autoria se lhe atribui.
Formou-se em arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, em 1954.
Em 1950, ainda estudante, recebeu do empresário figueirense Augusto Silva, o convite para projectar, na artéria mais importante da Figueira da Foz, uma piscina de mar. Projectada segundo uma lógica verdadeiramente moderna e multifuncional, criada com absoluta liberdade conceptual e estrutural, esta sua obra - a Piscina-Praia - tornar-se-ia referência urbana incontornável e, a par com o contíguo Grande Hotel da Figueira, passou a ser “cartaz turístico” por excelência, quase invariavelmente adoptado para projectar essa nova Figueira turística, desportiva e balnear, verdadeiramente cosmopolita.
Isaías Cardoso introduzia assim o Movimento Moderno no espaço arquitectónico da Figueira da Foz. Durante as décadas de 1950/1960 o seu estilo arquitectónico enraíza fortemente nas influências do Estilo Internacional e da Arquitectura Brasileira.
Em finais da década de 60 do século XX volta a projectar para a cidade uma obra notável, grande complexidade arquitectónica e funcional, co-financiada pela Fundação Calouste Gulbenkian, pelo Ministério das Obras Públicas e pela autarquia figueirense: o edifício integrado do Museu, Biblioteca e Auditório Municipais.
Nos anos 80 do séc. XX assina o projecto hoteleiro “Aparthotel Sotto Mayor”. A sua obra pontilha profusamente os distritos de Coimbra, Aveiro e Leiria.
Em 2006, a Ordem dos Arquitectos inventaria cerca de uma dezena de projectos seus como obras de referência da arquitectura portuguesa do séc. XX. O IPPAR e a DGEMN classificaram a Piscina-Estalagem e a Esplanada Silva Guimarães como imóveis de interesse público.
Em 2001, Isaías Cardoso cede ao convite da Faculdade de Arquitectura do Porto e faz doação de todo o seu arquivo de obras àquela que foi a sua Escola formadora.
Foi homenageado como profissional de excelência, de mérito e referência, em 2004, pelo Rotary Club da Figueira da Foz.
Em reunião de ordinária de 17 de março de 2008 foi-lhe atribuída, por unanimidade, a Medalha de Ouro da Cidade da Figueira da Foz, como forma de o distinguir e prestar público apreço pelo valor das suas realizações e pelo contributo notável que deu para o bom nome da Cidade da Figueira da Foz e o seu Concelho.

(Fonte: Civilria)

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL