Navigator lidera consórcio de 27 entidades que investe 103 milhões em embalagens com origem no eucalipto

A The Navigator Company, juntamente com um conjunto alargado de entidades, vai investir 103 milhões de euros na investigação, desenvolvimento e comercialização de soluções de embalagem inovadoras que substituam as actuais embalagens de plástico de origem fóssil, nomeadamente as de uso único, por materiais de base renovável e biodegradável a partir da floresta de eucalipto, contribuindo para a construção de um futuro sustentável.
Dos esforços desenvolvidos pelo consórcio, que reuniu recentemente na Figueira da Foz, espera-se também a criação de sensores de papel para serem incorporados nas embalagens com o objectivo de monitorar o estado de condição dos alimentos e interagir de forma inteligente com o consumidor.

A empresa é a promotora e líder do consórcio de 27 parceiros nacionais - entre os quais se contam 16 empresas e 11 universidades e centros de investigação, que cobrem toda a cadeia de valor desde a matéria-prima ao produto final - da Agenda Mobilizadora «From Fossil to Forest – Produtos de Embalagem Sustentáveis para Substituição do Plástico Fóssil», que integra a componente C5 do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).
Com um investimento global de 103 milhões de euros, dos quais 80 milhões de euros se destinam a investimento produtivo e 23 milhões a investigação e desenvolvimento, esta agenda vem confirmar e reforçar o valor acrescentado da floresta de eucalipto para a economia nacional. A Agenda «From Fossil to Forest» vai traduzir-se no desenvolvimento de 11 novos produtos inovadores de base sustentável, na criação de mais de 100 postos de trabalho diretos e num volume de negócios anual que ultrapassará os 120 milhões de euros.
Este projecto irá também contribuir decisivamente para o reforço da capacidade nacional nas áreas da investigação, desenvolvimento e inovação, prevendo que possa dar origem a, no mínimo, 12 novas patentes.
No domínio dos novos bioprodutos, são vários os exemplos  de produtos alternativos aos produtos de origem fóssil previstos: pastas de celulose não branqueadas de alto rendimento com menor utilização de madeira, embalagens de papel flexíveis para a indústria alimentar  e para o retalho, embalagens em celulose rígidas também para a indústria alimentar e indústria electrónica, compósitos de celulose e bioplásticos para a produção de filamentos para a impressão 3D e de produtos termomoldados para a área da saúde ou outro tipo de utilizações.
 
Eucalipto globulus, uma matéria-prima de excelência

Como matéria-prima, o eucalipto globulus, que tem em Portugal as condições edafoclimáticas ideais para o seu crescimento, destaca-se a nível mundial na produção de pasta de celulose e de papel, tendo contribuído de forma decisiva para que o papel Navigator tenha hoje um reconhecimento a nível mundial como produto de alta qualidade. Como resposta aos desafios ambientais actuais, é agora o momento para aproveitar esta riqueza florestal nacional na transição para uma bioeconomia de baixo carbono, alinhada com a Transição Climática.
Na sequência da Fase I das Agendas Mobilizadoras para a Inovação Empresarial, foram analisadas as propostas de ideias apresentadas e selecionadas 70 Agendas, das quais 64 passaram à Fase II e que, agora, se concretizam com a assinatura dos contratos com as autoridades governamentais.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL