Com a Figueira da Foz, com os Figueirenses.

Alice Mano-Carbonnier

Sobre o Cronista

Alice Mano-Carbonnier nasceu em Buarcos em 1948. É “carneiro” no Zodíaco e acha que tem algumas das características próprias deste signo: frontalidade, positivismo e espírito de equipa. É casada, tem três filhos e cinco netos. Frequentou o curso de Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, que não completou. É apaixonada por mar, viagens, escrita e leituras. Desenvolveu a sua actividade profissional entre 1966 e 2005 na Celbi, na Leirosa, e na empresa-mãe, Stora Enso, em Londres. Associativismo, política e trabalho comunitário têm feito parte da sua vida. Foi praticante de basquetebol nas décadas de 60 e 70 no Ginásio Clube Figueirense, onde se manteve como seccionista e dirigente, sendo actualmente Vice-Presidente da Direcção e directora da Revista Anual “Vai d’Arrinca”. Aprendeu a fazer teatro no Jardim-Escola João de Deus onde se orgulha de ter sido ensaiada pelo Tavaredense José Ribeiro e foi mais tarde amadora no Grupo Caras Direitas, clube onde foi também Presidente da Mesa da Assembleia-Geral de 2008 a 2011. Foi a primeira mulher Presidente na história da Assembleia Figueirense, instituição fundada em 1839. Nos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz foi Secretária da Direcção e Vice-Presidente, cargo que deixou em 2015, co-autora e coordenadora do livro publicado em 2007 “125 anos, Orgulhosos do Passado – Confiantes no Futuro” e autora da letra do hino dos Bombeiros Voluntários, cuja música de Francisco Xavier, data de 1907. É membro do Conselho Fiscal da Misericórdia-Obra da Figueira. A sua actividade política estende-se de 1975 a 2013, como militante do PSD. Foi membro de diversas Comissões Políticas locais, candidata a Deputada nas Eleições Legislativas de 1976, Deputada Municipal, membro da Assembleia Distrital, co-responsável por várias campanhas eleitorais autárquicas no concelho, 1ª Secretária da Mesa da Assembleia Municipal e cabeça de lista à Junta de Freguesia de Buarcos em 1982 e 2009. Alice fez igualmente uma breve incursão na área literária. É autora do poema intitulado “As outras crianças” publicado na revista “Emoções” (Cooperativa Grão a Grão, 1997), e na Antologia “Dizer a Infância” (CSC Reticências, 2018); colaborou com artigos de opinião para os jornais locais e crónicas na Rádio Clube Foz do Mondego; em 1996 o seu conto “Mulher do Mar” ganhou uma Menção Honrosa do Prémio Literário Joaquim Namorado, promovido pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, e foi publicado nos Cadernos Municipais. É autora da letra das marchas de S. João do Grupo Instrução e Sport, Buarcos, desde 2006. Foi coordenadora e co-autora de “A Magia das Chaves” (Edições Vieira da Silva, 2013); tem poemas publicados nas antologias “A Essência do Amor”, volumes 1 e 3 (Edições Vieira da Silva, 2014 e 2015) e ilustrou o livro “Jack nas Ondas do mar” da autoria de Maria Isabel Loureiro. O seu hobby mais recente é a pintura, onde se iniciou em 2006 com a pintora Tesha.

CRÓNICAS

Crónicas- Figueira na Hora

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL