Crónicas de tudo e de nada: À laia de justificação

Tenho andado ausente. É verdade! A vontade de escrever e a inspiração têm escasseado. Curiosamente, o ano em que menos viajei dos últimos 20 da minha vida, foi também o ano em que me senti mais “fora de casa”. Não da minha casa física, do meu lar, do meu espaço porque aí estive encafuada, mas da minha casa espiritual, da minha alma, do meu intelecto, de mim própria.
Nunca tanto tempo livre se manifestou tão improdutivo, tão desinteressante, tão desencorajador. Os livros por ler ou meio-lidos vão-se acumulando em cima das mesas, as Crónicas de Tudo e de Nada passaram de intermitentes a raras, a pintura foi minguando. De facto, a expressão “tempo livre” deixou de significar relaxamento, lazer, qualidade de vida, e passou a ser mais tédio, deixar correr o tempo ou pensar demasiado na pandemia… e isso é terrível!
Este estado de semi-torpor não aconteceu só comigo, obviamente. Imagino quantos outros terão andado a viver (ou sobreviver) com sentimentos de frustração, às vezes de desalento, mesmo. Fechados em casa por longos períodos, longe de familiares e amigos, impedidos de consolar os que sofrem, preocupados com os que ainda estão bem, privados do convívio e sociabilidade habituais, defraudados de sonhos, despojados de ânimo, bloqueados de ideias.
Mas chega de choraminguices! Afinal estamos vivos!
Não viajei…paciência! Os destinos onde iria vão manter-se no mesmo lugar (até Inglaterra continua na Europa apesar de ter saído da União Europeia).
Não escrevi crónicas…e depois? Se calhar ninguém deu por falta delas.
Não encontrei concentração para ler o que gostaria… não se perdeu nada – os livros continuam aqui e as palavras, as ideias e as aventuras não fugiram de dentro deles.
O que não é bom (e devemos esforçar-nos para que não nos aconteça), é gastar as energias que nos restam a pensar em tudo o que é negativo, que nos incomoda ou que nos irrita. Aproveitemos as coisas boas que temos a bênção de ter: saúde, família, amigos, casa, comida, paz.
Eu avisei que estava sem inspiração…

AMC/ 15/01/2021
(Foto retirada da net)

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL