Mãe!

Que palavra maravilhosa e tão poderosa.
Mãe!
Quantas vezes também te ouvi chamar pela tua!
Mãe!
Homens barbados, novos e velhos, nas aflições e na saudade também chamam pelas suas.
Mãe!
Encheria muitas folhas do meu caderno se a escrevesse sempre que te chamo.
Mãe!
Hoje colhi três flores: uma para te oferecer; outra para ofereceres à tua mãezinha - era assim que sempre te ouvi chamá-la; a terceira é para todos nós oferecermos a todas as mães.
Mãe!!!!

Walter Ramalhete.
Figueira da Foz, 1 de Maio de 2022.
Reservados os direitos de autor.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL