O valor do tempo

Olhei para o distante e perdi o perto
O perto, o dia-a-dia, era o que eu tinha
Olhei para o distante e perdi o certo
Afinal até o certo se perde, desconhecia.
Que ilusão a minha, querer saltar o tempo
Perto e distante são falhos e inconstantes
Caí no engano do tempo e muito lamento
Agora sei, o valor do tempo são os instantes.

Figueira da Foz 10 de Novembro de 2022.
Este texto foi escrito segundo a ortografia anterior ao actual ( Des) Acordo Ortográfico.
Reservados todos os direitos de autor

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL