FAP faz balanço das eleições autárquicas

A candidatura «Figueira A Primeira», que nas últimas eleições autárquicas conquistou a presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz com o cabeça de lista Pedro Santana Lopes, considera em comunicado que se transcreve na íntegra, que

(...)

“estes são resultados dignos de registo, notáveis mesmo, para um movimento independente que se candidatou pela primeira vez e que, pela sua natureza, não contou com qualquer máquina partidária, nem com o apoio financeiro que lhe está subjacente, nem com o eleitorado fixo que sempre beneficia os partidos tradicionais, mas ainda mais surpreendentes quando recordamos os obstáculos concretos que a FAP encontrou pelo caminho: 

- As sucessivas queixas em Tribunal colocadas por adversários.
- A impossibilidade de concorrer com o seu símbolo ou com o nome do seu cabeça-de-lista.
- A retirada da corrida autárquica de duas listas da FAP, nas freguesias de Alqueidão e Lavos.

Entenda-se que na base de todas as questões jurídicas, cuja superior apreciação não nos cumpre questionar, estiveram questões que não se colocam nas candidaturas partidárias, mais simplificadas, numa espécie de grelha de partida desenhada para dificultar resultados como os que a FAP, afinal, contra ventos e marés e graças à confiança dos figueirenses, acabaria por obter.

Estes resultados enchem-nos, pois, de orgulho e de responsabilidade. Não podemos deixar de ressalvar a redução da percentagem de abstenção, aumentando assim 6,58% o número de eleitores que fizeram questão de exercer o seu direito de voto.

Salientamos ainda que, devem ser retiradas conclusões políticas da rejeição pelo Tribunal Constitucional das candidaturas às assembleias de freguesia de Alqueidão e Lavos e do impacto eleitoral que pudesse advir da sua ida a sufrágio para a FAP. 

Para terminar, ressalvamos que da eleição, não resultou diretamente uma maioria no executivo camarário, nem o executivo tem à partida uma maioria na Assembleia Municipal, mas como é sabido, situações análogas já aconteceram anteriormente na Figueira da Foz, no mandato do dr. João Ataíde, assim como acontece e irá acontecer em várias autarquias do país. O sentido de responsabilidade democrática prevalece sobre aquilo que as campanhas eleitorais tendem a destronar. 

Já estamos a trabalhar. Ainda não tomamos posse, é verdade, mas já estamos a trabalhar. Começámos ainda durante a campanha, em cada visita, em cada porta-a-porta, recolhendo opiniões, esperanças, desalentos, projectos, queixumes, sonhos, pequenas e grandes ideias, sugestões. Ouvimos especialistas, uns reputados, nacionais, internacionais, empresários, docentes, outros de experiência feitos, mulheres e homens que viveram ou dedicaram as suas vidas à Figueira da Foz e por isso lhe conhecem bem os gostos e as manhas, mesmo sem outros títulos que aqueles que a vizinhança lhes dá. Agora é tempo de organizar tudo, priorizar tudo, sem esquecer o que foi sufragado pelos figueirenses: a Figueira Capital do Mar, a Figueira líder do conhecimento e da investigação na área marítima, que se desenvolve de forma integrada, captando investimento sustentável no turismo e na indústria, e que o faz olhando cada vez mais para as suas freguesias todas.

Esta é a hora do trabalho. Para todos, com todos. Para todos os figueirenses, sem excepção. 

Com todos os eleitos, sem excepção, desde que tenham o melhor interesse da Figueira da Foz como único objetivo, como única agenda. Essa é a nossa única condição”.

(...)

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL