Centésimo aniversário do Farol do Cabo Mondego

Hoje assinalou-se o 100.º aniversário do Farol do Cabo Mondego numa cerimónia presidida pelo director-geral da Autoridade Marítima e comandante-geral da Polícia Marítima, vice-almirante João Luís Rodrigues Dores Aresta. 
Estiveram ainda presentes o sub-director da Autoridade Marítima Nacional e 2º comandante-geral da Polícia Marítima, contra-almirante Nuno Noronha Bragança, o director de Faróis, capitão-de-mar-e-guerra Pedro Miranda de Castro e o capitão do Porto e comandante-local da Polícia Marítima da Figueira da Foz, Pedro Cervaens Costa, entre outras entidades militares e civis.
Durante a cerimónia foi ainda declamado o poema «Canção da Faroleira», de João Pedro Mésseder, na voz de Sandra Adão acompanhada no acordeão pela maestrina Alexandra Curado.
Na sua intervenção aludiu ao “grande simbolismo do momento, pelos cem anos de cumprimento da nobre missão de iluminar o mar e iluminar vidas”, sem esquecer os faroleiros, cujo “brio, dedicação, carinho e presença permanente dão vida aos faróis” salientando ainda que “a continuidade do trabalho desenvolvido é “premissa obrigatória, acompanhando o necessário desenvolvimento tecnológico, mas sempre com total respeito pela riqueza da localização geográfica do Farol do Cabo Mondego”.
Pedro Santana Lopes, presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, após uma breve resenha histórica, com alusão ao papel do Marquês de Pombal na construção dos primeiros faróis, rendeu-se à importância do momento “carregado de história, magia, misticismo pelo facto dos faróis serem inequívocos exemplos de segurança, de grande relevância patrimonial e de amor à pátria”.
O descerrar da placa comemorativa do 100º aniversário revestido de grande simbologia, encerrou a cerimónia, que contou com a participação da Dixieland da Banda da Armada Portuguesa e da Escola de Artes do Centro de Artes e Espectáculos.
Um momento de celebração de 100 anos de vida de um Farol erguido no Parque Florestal da Serra da Boa Viagem, classificado, desde 2004, como imóvel de interesse municipal, e que de forma ininterrupta assume a sua missão de acompanhamento e pensamento naqueles que diariamente se aventuram a percorrer a escuridão marítima, quantas vezes, tormentosa.
Acresce referir que todas as 4ª feiras, e sempre no período da tarde, o Farol do Cabo Mondego abre portas ao público, já a partir desta semana.

Fonte: CMFF

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL