Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos: “Um projecto ambicioso e enorme no seu potencial”

O Auditório Municipal recebeu recentemente a apresentação da Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos do Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego, criada no âmbito de uma candidatura apresentada ao «Programa Humaniza», da Fundação La Caixa/BPI, que financiará o projecto com uma verba de 150 mil euros, durante cinco anos.
A equipa, que numa primeira fase presta serviço nos concelhos da Figueira da Foz, Cantanhede e Montemor-o-Velho, é coordenada por Raquel Ferreira (médica) e Vítor Rua (enfermeiro) e constituída por dois médicos e cinco enfermeiros. Conta ainda com o apoio da equipa psicossocial (psicólogo e assistente social) do Instituto Português de Oncologia de Coimbra.
A mesma tem como objectivo “garantir os cuidados a doentes com doenças crónicas severas, progressivas e incuráveis, com sintomatologia complexa e existência de sofrimento associado, em contexto domiciliário”. Raquel Ferreira espera “que o projecto seja duradouro e tenha continuidade para sempre”.
“O objectivo é dar continuidade depois do financiamento e que as entidades competentes continuem o projecto”, frisou.
A vereadora da Saúde, Olga Brás, presente na apresentação da Equipa, considerou que a mesma é “o rosto mais recente, visível e empenhado deste percurso de respeito pela dignidade da vida e da pessoa humana, valores constitucionalmente consagrados e verdadeiramente enraizados na sociedade portuguesa”.
Para Olga Brás, “a iniciativa do ACES Baixo Mondego não foi nem gratuita nem espontânea, pelo contrário, resultou da percepção clara das necessidades ao nível regional com o aumento do número de pessoas com doenças crónicas severas, progressivas, incuráveis, a requererem uma prestação de cuidados de saúde adequados”.
“Um projecto ambicioso, mas sobretudo enorme no seu potencial na sua bondade e no que de bom pode trazer para centenas de milhares de pessoas”, salientou a autarca que referiu ainda tratar-se de “um pequeno passo com grande significado para quem dele vai beneficiar, em última instância um passo enorme para todos nós enquanto sociedade”.
A vereadora manifestou toda a disponibilidade do Município para com este projecto, que foi objecto de protocolo celebrado em setembro de 2021 com a Administração Regional de Saúde do Centro. Ao Município incumbe a disponibilização de uma viatura “para as deslocações da equipa aos domicílios no âmbito da sua atividade assistencial” e a “colaboração na resolução de problemas de pessoas que em situação de vulnerabilidade, e por ausência de cuidador ou de recursos, necessitem de encaminhamento dentro da rede social do município e em articulação com os demais serviços competentes, designadamente Serviço Local de Segurança Social”. O Município disponibiliza também, “espaços para a realização de acções de formação de profissionais e de cuidadores e familiares”.
A equipa comunitária de suporte em cuidados paliativos do Baixo Mondego está sediada no Centro de Saúde de Cantanhede e vai abranger cerca de 380 mil pessoas.
A mesma funciona de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 18h00, e ao sábado das 09h00 às 13h00. Aos fins de semana e feriados o atendimento é efectuado por telefone, existindo, contudo, em caso de crise, a possibilidade de atendimento presencial.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL