E TUDO PODIA TER SIDO MUITO MAIS FÁCIL (PARA MIM)

Teria sido tudo muito mais fácil se no mesmo dia em que fui convidado para ser candidato à presidência da CMFF, tivesse aceitado uma lista de vereadores, deputados municipais e de candidatos a juntas de freguesia, pré-definidas pelo aparelho partidário, ao invés de ter manifestado a vontade de criar outras, composta por mulheres e homens que reunissem os pressupostos de competência e credibilidade para levar de vencida um projecto sustentável para o nosso concelho.
Teria sido tudo muito mais fácil se tivesse aceitado um programa eleitoral impingido, “tipo chapa cinco”, daqueles que se utilizam e serve para qualquer lugarejo, assente em meia dúzia de larachas demagógicas de encher o olho ao eleitorado, ao invés de ter convidado um grupo de trabalho composto por meia centena de mulheres e homens, os quais, independentemente da sua orientação politica, credo religioso, ou condição socio profissional, possuem um denominador comum: um grande amor pela sua terra!
Teria sido tudo mais fácil se tivesse obedecido e seguido cegamente todas as orientações e indicações alvitradas pelos “pseudo donos disto tudo” e conduzisse a oposição ao sabor dos arranjinhos e de quem se move por interesses mas que não são, certamente, os relacionados com a defesa dum verdadeiro projecto que tenha por objectivo o desenvolvimento social e económico do concelho.
Estou certo que tudo podia ter sido mais fácil (para mim) se no dia a seguir às eleições, tivesse aceite a “proposta irrecusável”, renunciando à minha continuidade na acção política local e seguido como deputado (mais um entre 230) na longínqua Assembleia da República, traindo o discurso da mudança que nos moveu e congregou centenas de mulheres e homens nas listas do nosso projecto eleitoral e de todos os milhares que em nós acreditaram, ou de todos os outros que apesar de não terem votado em nós, em nós vão encontrando a voz da defesa dos interesses mais prementes do concelho.
Sem qualquer arrependimento (bem pelo contrário), apesar de se ter tornado tudo mais difícil (para mim e para muitos outros) o caminho é em frente, num processo coerente, de verdade e transparência tendo em vista uma sucessão que garanta um futuro de mudança.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL