Pobre PSD local

As últimas Europeias, em Maio, funcionaram como prenúncio da hecatombe, quando, pela primeira vez, na história do PSD da Figueira da Foz, o partido ficou em terceiro lugar, atrás do Bloco de Esquerda, em três freguesias.
As eleições legislativas de domingo passado confirmaram o descalabro da forma como o partido vem sendo gerido localmente nos últimos anos, com o PSD a ter o pior resultado de sempre no concelho, perdendo em todas as mesas de voto, em todas as freguesias, com a votação mais baixa de sempre. Nem o Aliança (de baixo desempenho) poderá servir de desculpa…
Tudo isto depois de em 2015 o PSD ter conseguido uma boa votação nas legislativas, tendo, inclusivamente, ganho algumas freguesias, assim como, nas autárquicas quer de 2013 (em pleno período da troika) ou 2017(com um PS em ascensão), nestas ultimas, sem coligação, tendo alcançado resultados enquadrados com a base eleitoral do partido no concelho.
Há muito que se antevia a presente situação, e mais reforçada se tornou quando, há cerca de ano e meio, num manifesto erro estratégico, o PSD local passou a ser dirigido por alguém que, anteriormente, tinha rasgado o cartão de militante para apoiar publicamente o candidato do PS (facto confessado pelo próprio), sabendo-se que o eleitorado é avesso a actos de traição.
Uma concelhia que vem sendo dirigida por alguém intimamente ligado a Pereira Coelho, figura politica local do PSD, actualmente emigrado em Angola e que por aqui não deixou saudades, permanecendo bem viva nas memórias de todos, os inúmeros transtornos que causou ao falecido Eng. Duarte Silva, a ponto deste lhe ter sido obrigado a retirar os pelouros de Vereador e que muito contribuiu para a destabilização e derrota do partido, localmente.
Uma concelhia cada vez mais fechada em si, descredibilizada por evidente ausência de massa critica, mal vista pela comunidade pela forma arrogante como se comporta, que hostiliza sistematicamente todos aqueles que se aproximam do partido, como foi o exemplo dum conjunto de cidadãos que se apresentaram como uma lufada de ar fresco na última candidatura autárquica e que alcançaram resultados apreciáveis, reconhecidos, aliás, pela própria concelhia que se manteve em funções e não viu razão para se demitir.
Uma concelhia que de forma gratuita, sem justificação e ao arrepio dos estatutos partidários, num acto de mesquinhez sem precedentes, retirou a confiança politica aos seus actuais Vereadores, entre eles, o candidato à presidência da Câmara Municipal, militante primeiro eleito, com assento no Conselho Nacional do partido, o qual, em 6 anos de militância nunca recusou os desafios que lhes foram propostos pelo partido, não obstante as dificuldades em causa.
Uma concelhia que insiste em levar sempre o mesmo candidato a Deputado à Assembleia da Republica como se não existissem outros cidadãos de valor no concelho (tudo isto apesar da teoria da rotatividade que vem sendo apregoada em relação a cargos políticos…).
A tudo isto, e muitas outras coisas, acresce ainda o insólito dum bloger local que diz votar na CDU mas que vai dando uma ajudinha aquela direcção partidária (vá-se lá saber porquê…), “postando” uns comunicados esquizofrénicos emitidos e assinados pelo PSD local (num estilo ultrapassadíssimo de fazer politica), qual ave de mau agoiro, quanto mais os publica, piores são os resultados do PSD (e também os da CDU…).
Dir-me-ão que é no Plenário do partido que se discutem estas e outras questões. Pergunto, quais Plenários? Aqueles Plenários em que estive muitas vezes eu presente e mais meia dúzia de militantes todos pertencentes ao pequeno grupo de domina o aparelho concelhio? Sim, MEIA DÚZIA, porque os restantes militantes (actualmente, menos duma centena com quotas em dia – quando, noutros tempos, eram milhares -) deixaram de acreditar e de responder às convocatórias.
Só que agora a situação é mais grave: também deixaram de votar.

COMENTÁRIOS

ou registe-se gratuitamente para comentar.
Critérios de publicação
Caracteres restantes: 500

mais

QUEM SOMOS

O «Figueira Na Hora» é um órgão de comunicação social devidamente registado na ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). Encontra-se em pleno funcionamento desde abril de 2013, tendo como ponto fulcral da sua actividade as plataformas digitais e redes sociais na Internet.

CONTACTOS

967 249 166 (redacção)

geral@figueiranahora.com

design by ID PORTUGAL